Seguidores

Recanto das letras

sábado, 17 de outubro de 2015

GOTAS AMARGAS !

 Arranco a pele que me envolve,
Exponho vivas, as marcas do desgosto,
Vazio de vida entrega-se, meu corpo,
Exangue, já quase um moribundo...

Meus pés tropeçam em pedras e palavras,
Afundam na lama, de fúteis sentimentos,
Transmutam sonhos, em horríveis pesadelos,
Que me acompanham, nas frias madrugadas...

Recolho galhos, sem rosas, só com espinhos,
Rasgam-me as mãos, a dor é desumana,
Agonizante, fustigo minh´alma profana,
E impiedosa, não lhe ouço os gemidos...

Tomo do fel, que me queima as entranhas,
Em delírio, grito, coisas loucas e insanas,
De minha boca escorrem, gotas amargas...
De puro sangue...  Suor...  E lágrimas...

     Lani ( Zilani Celia)





64 comentários:

  1. Por vezes há circunstâncias assim na vida, de duras provações, amargura, e desilusão... e quando ultrapassadas... fazem de nós pessoas mais fortes, equilibradas e preparadas, para outras batalhas, que surjam...
    Um texto brilhante, Zilani, sobre este sentimento, pelo qual, ninguém gosta de passar... mas que nos acaba fortalecendo... após cada batalha vencida... ainda que a gente não dê conta...
    Beijinhos! Bom domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  2. Amargar o desgosto, Zilani, tão bem descrito em "Gotas Amargas".
    Só quem se desiludiu, se exauriu e se entregou à dor do vazio, sabe do sentimento deste poema intenso e profundamente triste.
    Obrigada, tenha um excelente domingo, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Olá querida Celia!
    Belo poema, um pouco triste!
    Desejo belo domingo!
    Eu abraço e obrigado pela visita!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá querida Celia!
    Belo poema, um pouco triste!
    Desejo belo domingo!
    Eu abraço e obrigado pela visita!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá querida Celia!
    Belo poema, um pouco triste!
    Desejo belo domingo!
    Eu abraço e obrigado pela visita!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia
    Tão triste, mas tão belo!!

    Beijo e um bom Domingo.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Que desse poema renasça um colorido e um sabor de vida com sorrisos e menos lágrimas!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Zilani , o desespero descrito magistralmente neste seu poema . Triste e verdadeiro . Beijos e bom domingo .

    ResponderExcluir
  9. Forte e profundo, Lani! A vida é uma jornada com momentos, muitas vezes, de dores e sufocos...

    Um bom domingo... Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Zilani,um grito pedinte,repleto de amarguras
    Versos tristes,mas com grandes profundidades em cada palavra.
    Bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia..

    ResponderExcluir
  11. Porque nem tudo são flores nessa nossa caminhada. A vida é também feita de momentos amargos...
    Belo, Zilane.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  12. Que as gotas dessas lindas lágrimas brotem vida desse querer viver ,que a tristeza vire alegria ,que cada renascer seja o renovar da esperança em nosso coração ,maravilhosa querida amiga ,desejo-lhe um Domingo muito feliz ,beijinhos felicidades.

    ResponderExcluir
  13. Belo poema,mais muito triste!
    Adorei ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Belo poema,mais muito triste!
    Adorei ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde,Lani.
    Fiquei em agonia ao ler tão belo poema, amiga!
    A dor da nossa alma expõe feito ferida mesmo, dói, machuca, sangra e muitas vezes implode, o que é pior ainda!
    Belíssimos teus versos.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    Deixo-te um convite.
    Em parceria com Zilda Oliveira, criamos um blog de poesia.
    Contamos com a sua presença amiga.
    Esperamos que goste.

    http://divasdapoesianaturalmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Como que um exercício de catarse. A violência e dureza de uma dor profunda que se tenta excomungar.
    Muito intenso. Com o sabor das lágrimas amargas.
    Excelente, Zilani!
    xx

    ResponderExcluir
  17. oi, Zilani, que amargo sofrimento a vida ás vezes traz! quando a alma não encontra alento na fé e sofre o amargor em toda sua extensão.
    Um abraço, paz e Bem sempre

    ResponderExcluir
  18. Intenso, amargo e violento. Como uma auto mutilação do espírito.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  19. Por vezes, chega-se ao chão. Há só espinhos e dor, como lindamente descreveu. São instantes que fazem parte do caminho e inspiram os recomeços. Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Intenso, triste.. mas, maravilhoso! encantador.. Parabéns!

    ResponderExcluir
  21. Amargas, sim... mas quanta beleza a poesia descobre até em nossas amarguras, Zilani! Belo texto, boa semana.

    ResponderExcluir
  22. Muito triste Lani, mas a tristeza sempre passa cedendo lugar a momentos mais alegres, e novos aprendizados.
    Beijos, e uma linda semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  23. Gosto desse tom de poesia, desse algo mais que a vida tem.

    Abraços, Lani!

    ResponderExcluir
  24. Boa noite amiga Zilani Celia!
    Apesar de tamanha tristeza revestida em suas palavras, existe a beleza de sua composição, da qual impossível não dizer que é muito linda. As poesias não são exclusivamente feitas de amor e ternura, mas também são acometidas de lágrimas e amarguras!

    ResponderExcluir
  25. Excelente poema, verdadeiramente intenso! Gostei!

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde zilani!
    Uso dizer de que em muita das vezes as tribulações que nos sobre vem, elas não nos torna nem melhores e nem piores, apenas da nos base pra recomeçarmos a vida de uma forma mais sabia....
    Amei a postagem... Como sempre vc esta sempre a nos surpreender com seus lindo e sábios dizeres.... big bj.... seguido de um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  27. Bonito, profundo e ao mesmo tempo triste, Zilani. Bela postagem. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  28. As mais maravilhosas almas são feitas não só de felicidade mas também de armargura pois essas sim sabem valorizar o sorriso, a felicidade, a liberdade, o amor, A VIDA.
    Parabéns pelo post! Está fantástico, como a vida. ♥

    ResponderExcluir
  29. Boa noite
    Passei pelo teu cantinho para te dar a conhecer o meu modesto espaço de poesia.
    Espero que gostes. Um abraço, Ana Pereira
    http://almainspiradora.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  30. É muito difícil a vida para quem abraçou a dor e fez dela sua companheira. Tão difícil quanto a de quem abraça o prazer e vive só para isso, não importa a quem faça sofrer. No meio termo encontra-se a serenidade, talvez...mas tão árduo é ao ser que habita nesta terra encontrar-se, conhecer-se, e medicar-se com o remédio da fé e esperança...
    Um carinhoso abraço
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  31. Quanta dor. Senti um pouco dessa agonia ao ler seu poema.
    Vc consegue traduzir muito bem tantos sentimentos em palavras, parabéns! Gosto dos seus poemas.

    Abraços esmagadores e ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  32. Poema intenso e muito melancólico, a lembrar que, na vida, há emoções muito fortes que nos magoam.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  33. Muito bonito, um grito de dor nessa balburdia em que todos vivemos: ora estamos bem, ora tristes, desesperados. Vejo nesse seu poema uma dor profunda, dilacerante.
    Beijos, Zilani!

    ResponderExcluir
  34. Oi Zilani
    Esse grito melancólico todos damos, embora o tapamos com a mão que é mais colorido ainda, pois dói nossa garganta.
    A vida aqui na Terra é um sofrimento infinito e os momemos felizes são tão escassos que nos parecem despercebidos.
    Linda, mas triste e chorosa poesia.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
  35. Amiga Zilane.
    Senti tanta tristeza nos seus versos todos bem colocados
    mas com sabor de fel.
    Como é estranho o grito do poeta !!
    E minha amiga é uma grande poetisa.
    Um abençoado final de semana .
    Beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  36. Palavras amargas.
    Mas o poema é excelente. Gostei imenso.~
    Lani, minha querida amiga, tenha um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  37. Ah, minha doce amiga, conheço bem estes momentos em que o chão parece nos engulir, em que nos vemos a debater numa dor tão profunda que parece que nunca mais iremos nos reerguer, em que só temos em mãos os espinhos, pois as rosas foram esmagadas, em que as pedras do caminho nos fazem tropeçar e deixar sem apoio, em que as palavras nos somem para dar lugar a gemidos que marcam a nossa dor, em que os sonhos se dissolvem no ar ante os nossos olhos e nos deixa assim, com fel na boca, mãos vazias, olhar perdido, e uma insuportável dor a nos rasgar as entranhas... Conheço bem!
    Se este grandioso poema foi apenas uma criação literária, confesso, emocionou-me profundamente pelos versos doídos, contritos, sufocados. Mas se for um momento pelo qual estejas passando, meu anjo, tenho certeza de que vai passar... vai passar... vai passar...
    Pode não ser no tempo que nosso coração deseja, pois Deus tem o tempo certo para nossas privações e nem sempre coincide com a nossa busca de paz e resignação. Mas acredite, a dor irá embora e mesmo que em passos lentos ela um dia se afastará. E mesmo que fique aquela lembrança a nos toldar o olhar vez em quando ou o coração a doer aquela dor miudinha, constante, o sofrimento maior há de se tornar cada vez mais enfraquecido. Não é fácil para ninguém chegar a um estado em que a saudade daquilo que se perdeu passa a ser suave... Nem sei se um dia este momento chegará! Mas é necessário que aceitemos as mãos que se nos estendem, ouvir as palavras de consolo que nos ofertam e, principalmente, segurar na mão de Deus e seguir...
    Te deixo meu carinho num bouquet de rosas coloridas que colhi agorinha mesmo no meu jardim. Não tem nenhum espinho, minha querida amiga, pois gosto tanto de ti que retirei todos aqueles que pudessem magoar tuas mãos.
    Um beijo nesse teu coração no desejo de que horas de paz e luz possam chegar a ti levando um pedacinho de esperança.
    Fica em paz!
    Helena

    ResponderExcluir
  38. Ótimo texto poético, Zilanii, Gostei muitíssimo! Sonetista de primeira, perfeita. Abraços.

    ResponderExcluir
  39. Há dores que nos machucam muito.
    Mas passam...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  40. Olá, Lani.
    Um poema denso, que muito me agradou. Parabéns.
    Uma boa semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  41. Aplausos para este triste mas belíssimo poema, Zilani
    Tenha uma abençoada semana.
    Beijinhos carinhosos de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  42. Oi Zilani! Ruim demais ter que beber das gotas amargas da vida, mas as vezes elas são necessárias,,, funcionam como remédios amargos que curam as feridas da alma! Bjks e uma boa semana! Tetê

    ResponderExcluir
  43. Passei para desejar uma excelente semana!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  44. Tem dias que estamos nessa situação triste e delicada...Ai só nos restam se humilhar e derramar nossas lágrimas, e nossa dor. Depois de algum tempo, nos sentimos fortalecidas e prontas para vencer e ser feliz.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  45. Há momentos assim e esperamos que não durem tanto tempo.
    Lindo poema!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Oi Zilani,
    Os momentos bons, devemos saber aproveitar.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
  47. Boa semana, Zilani! Aguardo o próximo post.

    ResponderExcluir
  48. A vida é cheia de desafios.Mas sempre há as coisas boas. Beijos e uma ótima noite.

    ResponderExcluir
  49. Profundo, triste mas muito lindo! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  50. Zilani, tens o dom de versar sobre dor, sofrimento, tão profundamente que se chega a sentir na própria carne!Grande abraço! Beijos!

    ResponderExcluir
  51. Nem só de gotas doces são feitas a vida. Estes momentos, quando superados, tornam-nos mais fortes. Os seus versos são sempre muito fortes, tocam-nos cá dentro do peito.
    Beijinhos, uma linda semana de Primavera
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    P.S. E o neto Pedro como está?

    ResponderExcluir
  52. Bellísimo aunque con esa amargura que no es ajena para casi nadie. Todos en algún memento de la vida, volamos muy bajo casi tocamos tierra. Pero hemos de levantaros y seguir nuestro camino e inventar nuevas ilusiones para seguir viviendo a pesar de los pesares.

    Te dejo mi felicitación, mi gratitud y mi estima siempre
    Es siempre un inmenso pasar a leerte..

    ResponderExcluir
  53. Oi Zilani,
    Obrigada pelo carinho
    Beijos
    minicontista

    ResponderExcluir
  54. Semelhante à dor sofrida numa crucificação: triste e belo poema, Lani!
    Beijo,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  55. Oi Zilani! Obrigada pelo carinho depositado lá no meu cantinho! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  56. Querida Lani
    Um grito desesperado! A vida nem sempre é fácil e há momentos em que nos sentimos menos bem.
    O que sempre me faz sentir bem , é ler o seu modo de se expressar,ainda que triste, sempre muito poético. Parabéns.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  57. Hermoso, aunque triste poema.
    Aunque la vida nos dé zarpazos siempre debemos levantarnos y seguir adelante.
    Un abrazo lleno de optimismo.

    ResponderExcluir
  58. Voltei,Zilani, pra te agradecer os votos e o carinho por lá! Estamos na luta, mas confiantes, firmes e vamos que vamos, com certeza! Obrigadão! bjs, chica

    ResponderExcluir
  59. Celia,

    Não sei se é da musica de fundo, se da sua forma serena e sublime de escrever, mas a verdade é que este seu blogue me transmite calma e tranquilidade...

    Um beijinho e muito obrigado por ter chegado a mim.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Beijos, Zilani Célia.