Seguidores

Recanto das letras

terça-feira, 26 de junho de 2018

ALUCINAÇÃO!

  
Mais uma noite fria e a cena se repetia,
O xale nos ombros, no rosto, agonia,
Acreditando, que hoje, enfim fugiria,
Desta vida, que não mais queria...

Os neons, o asfalto, iluminavam,
Seus pés trôpegos, neles pisavam,
A chuva que corria, as sarjetas, inundava,
E ela, mesmo assim, sozinha continuava...

Ia até o cais, de onde ele partira,
Foi lá, que pela última vez, o vira,
Num navio, que em sua mente, soçobrava,
E sumia, toda vez, que dali se aproximava...

Sentia o furor do vento, que sua pele feria,
A cabeça rodopiava, sua fonte doía,
O mar agitado, nas pedras, furioso batia,
Ela o chamava, volte! Lhe pedia...

A beira do abismo, no escuro, se equilibrava,
Ouviu a voz dele, que de longe gritava,
-Não dê mais, nenhum, passo á frente...
-Vire-se e vá embora... Daqui, para sempre...

    Lani (Zilani Celia)


52 comentários:

  1. Grandes versos onde o desespero é construído passa a passo...um conto em versos.
    magnífico!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Nossa, quanta agonia, Lani, e a foto casou muito bem!! Você conseguiu me arrepiar e estou fugindo... Se conseguiu passar esse drama é porque foi tudo muito bem construído!
    Beijo!! Uma boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Cara Celia, sono passato per lasciarti un caro saluto.
    Ciao e buona giornata con un forte abbraccio e un sorriso:-)
    Tomaso

    ResponderExcluir
  4. Versi intensi che mettono i brividi.
    Simpaticissimo Leonardo 😊
    Felice giornata, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  5. Muito intenso. Doloroso. Ainda assim, fica uma réstia de esperança no final. Amiga, esperando que não leve a mal, no segundo verso, da quarta quadra, há uma gralha. Se puder reveja.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Elvira, já conversamos a respeito e não há "gralha" em meu texto, apenas uma diferença em nossos idiomas.
      Não quis excluir teu comentário como me solicitaste pois preso muito tuas visitas e não vi motivo para fazê-lo.
      Um grande abraço.

      Excluir
  6. Profundo, lindo, INTENSO! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Poema lindo demais!!AMEI!


    Beijos e um excelente dia!

    ResponderExcluir
  8. Há um desespero emocional nos versos que nos prendem na leitura de mais um tocante poema seu!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Oi Zilani! Naveguei nestes passos, lindo poema, é quase um conto de tão realista, amei!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Triste poetar amiga Zilani!
    Toca-nos profundamente.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  11. Alucinação perigosa...
    Boa continuação de semana.

    ResponderExcluir
  12. Olá Zilani!
    É triste mas belo este seu poema. A dor brota de cada verso. Gostei muito!
    Também gostei do seu comentário no meu "roldeleituras". Obrigada!
    Beijo e resto de boa semana.

    (Não leve a mal, amiga, mas pegando no comentário da Elvira, diga-me, em português do Brasil fronte (de cabeça) se diz fonte? Aqui, em Portugal fonte é o mesmo que chafariz, fontanário, algo de onde brota água. A mesma língua e tantas diferenças...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, querida Teresa, querem dizer a mesma coisa sendo que "fonte" também pode se referir a uma nascente de água. Bjs

      Excluir
  13. Deliciei-me com este excelente poema. Obrigada :))


    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira.

    ResponderExcluir
  14. Uma das sequelas que o amor deixa... desespero...
    O legal de te ler é que vamos imaginando a cena e conseguimos sentir um pouco da dor do personagem. Gosto da combinação que faz com a imagem.

    Obrigada pelo carinho com meu Projeto. Vou prosseguindo, sei que devagar e acreditando, posso fazer a diferença em algumas vidas.

    Abraços esmagadores e dias felizes.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Lani, sempre achei muito triste toda a forma de despedida, mas dentre elas a despedida mais triste é a feita no cais, com o navio a sumir no horizonte.
    Um bom final de semana
    Grande abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  16. Lograste conjugar a la perfección imagen y texto, me gusto mucho.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  17. Oi Zilani. Poesia e´assim mesmo.... Nascem onde brotam alegrias , ou tristezas. Belíssimo como sempre, apesar de melancólica inspiração. Feliz semana. Grande beijo.

    ResponderExcluir
  18. Poema intenso, profundo. Instiga-nos a chegar logo ao final, temendo uma tragefia maior. Comovente. Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Um poema de uma profunda melancolia. Muito belo!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde, Zilani,
    muito triste esta despedida, a imagem nos mostra sofrimento.
    O abismo a puxando para baixo, o bom é que ele gritava para que não continuasse,
    pois à sua frente estava o abismo. Ou quem sabe a sua alma estivesse sofrendo muito. Mesmo assim, senti medo por ela. Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Olá Zilani! Belo e profundo o teu poema. Quem sabe, um dia, o reencontro?

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
  22. Lúdico e profundamente sentido, Zilani. Mais um belo post, amiga! Boa semana.

    ResponderExcluir
  23. É lindo! E é para mim muito vivido! Quando há 50 anos (fá-los no dia 29 deste mês) vi o meu Marido partir para a guerra (a chamada guerra do Ultramar) e senti todas aquelas emoções. Graças a Deus voltou!!! Mas se agora pudesse senti-las novamente...

    ResponderExcluir
  24. Um poema muito belo... sobre um amor sofrido... desaparecido... mas que ainda assim... através do coração, e da emoção, continua a ser ouvido... e pressentido!...
    Notável, como sempre, Zilani! Parabéns!
    Beijinhos! FEliz semana, e um óptimo mês de Julho!
    Ana

    ResponderExcluir
  25. Ainda não tinha tido a sorte de a descobrir. Que lindo o seu cantinho. Que bela sua poesia Zilani. Um abraço.

    ResponderExcluir
  26. Olá Zilani querida


    Aos poucos estou voltando...
    Adorei estar novamente aqui...
    Dá uma passadinha lá...
    Beijos
    Ani

    https://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Olá Zilani

    Venho agradecer e retribuir a visita e já sou sua seguidora:)

    Gostei do seu blogue:)

    Beijinhos e um bom fim-de-semana:)

    ResponderExcluir
  28. Grata por tuas palavras e votos em meu blog. estou um pouquinho melhor das mãos, sim, mas não posso pensar em grandes "voos" escritos.

    Um interessante e bem estruturado poema, a k já nos habituaste. seria alucinação?

    Beijos e bfds.

    ResponderExcluir
  29. Zilani que poema forte e belo! LI E RELI grande poetisa, grata por estes momentos impares.

    ResponderExcluir
  30. Há dores provocadas pela ausência que são bem perigosas...
    Excelente poema, parabéns pelo talento.
    Amiga Zilani, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  31. Boa noite Lani,
    Poesia intensa...
    Há despedidas que causam alvoroço
    emocional e alucinações dolorosas.
    Bjs ;)

    ResponderExcluir
  32. Bom dia Lani, gostei muito do esmero como fez o seu blog, Meus parabéns postagens com belos poemas. Bjs linda.

    ResponderExcluir
  33. Passando para deixar um beijo e desejar uma semana cheia de alegrias.

    Ani

    ResponderExcluir
  34. Realidad o estado de febrilidad, el poema tiene un lirismo bello lirismo negro, como los poemas de nuestro coterráneo, JUlio Flórez. Un abrazo desde Colombia. carlos

    ResponderExcluir
  35. Bem lavrado este poema, Zilani! Tal é a intensidade da dor que a melancolia se espalha.
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  36. Olá Zilani! Passando para te cumprimentar e desejar uma ótima semana para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
  37. Boa semana, Zilani. Aguardo o próximo post!

    ResponderExcluir
  38. oi, Lani!

    tudo bem? Filhotes e netos?

    Deixaste no meu blog um comentário, que era para nosso amigo comum, Sol. Lapso teu, decerto. Queres k eu lhe diga ou tu fazes um outro no blog dele? Não passarei esse. Tá?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  39. Olá, Zilani.

    Parabéns pelo texto e pelo blogue.

    Pelo que percebi a personagem do poema era uma viúva (ou uma mãe) que tanto sofria por alguém que havia partido numa viagem de barco provavelmente sem deixar notícias. Porém, ela só o encontrou em sua passagem para o além.

    Apesar de nada sabermos com certeza sobre o lado de lá da existência, é de fato um grande conforto a crença nesse reencontro com os entes e amigos que se foram. Daí hoje eu entender o sentimento daqueles que já sendo muito idosos praticamente a ninguém têm em suas companhias terrestres dos pertencentes a suas respectivas gerações.

    Que saibamos lidar com essa situação de impermanência.

    Ótima quinta-feira!

    ResponderExcluir
  40. Voltei para ver as novidades.
    Amiga Zilani, aproveito para lhe desejar um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  41. Aproveitando que também vim espreitar se haveria novidades, agora que ando um pouquinho menos presente, na Net... já ajeitando tudo, aos poucos, para ir de férias, no mês que vem... deixo um beijinho, e votos de um excelente fim de semana!
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  42. Bela construção poética! Gostei muito de lê-lo! Remate final :
    A beira do abismo, no escuro, se equilibrava,
    Ouviu a voz dele, que de longe gritava,
    -Não dê mais, nenhum, passo á frente...
    -Vire-se e vá embora... Daqui, para sempre...( Quem diz as duas frases? Ele? Então, deduzo que está morto e quer protegê-la?)

    Abraço

    ResponderExcluir
  43. Zilani , vir ao seu espaço é sempre ser presenteada com belos poemas . O de hoje , triste . Beijos

    ResponderExcluir
  44. Un placer leerte.
    Te dejo un abrazo.
    Muchas gracias.

    ResponderExcluir
  45. Acredito que ela buscava por uma lembrança. Algo que ela não conseguiu de despedir nunca . Belíssimo poema.

    ResponderExcluir
  46. Boa tarde Zilani! Lindo poema, ao lê-lo, faz-nos imaginar as imagens de cada acontecimento como um filme ao passar no olhar. Parabéns.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Mesmo distante o eco do amor tentando salvá-la!
    Bj
    Adh

    ResponderExcluir

  48. 40 Funny Illustrations Proves That The World Has Changed For The Worse https://goo.gl/mE6zfU

    55 Funny Illustrations of Two Kinds Of People In The World https://goo.gl/6GbZPy

    45 Illustrations presenting the Brutal Realities of Life https://goo.gl/dmCEkW

    Funny Illustrations Of Living As a Giraffe Or a Crocodile https://goo.gl/9sZWH3

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Beijos, Zilani Célia.