Seguidores

Recanto das letras

sábado, 22 de abril de 2017

ALHEAMENTO!


Escapam-me pelos dedos, como grãos de areia,
Pensamentos emaranhados, como fina teia,
São restos, migalhas, pedaços de mim,
De pobres histórias, Sem começo nem fim...

Em alguns momentos, está tudo ali,
Em outros, só o vazio, de tudo esqueci,
Se tive amor, se amei, abstraí,
Se fiz alguém sofrer, nem me arrependi...

Se pudesse escolher, queria lembrar,
Sofrer por sentir, seria voltar,
Reconhecer-me no espelho e por isso chorar,
E saber que sou eu, quem está a me olhar...

Cada fábula contada, foi por mim, encenada,
Agora, sem roteiro a seguir, sem plateia, nem nada,
No teatro vazio, permaneço sentada,
E a odisseia, que aplaudo, calada e sozinha...
É, minha vida... Que, sem lembranças, definha...


    Lani ( Zilani Celia)

59 comentários:

  1. Um quadro muito triste, querida Zilani!
    Porém, a vida nem sempre é um mar de rosas.
    O poema está impecável e belo, mas o alheamento
    é algo que assusta mais o ser humano do que a morte...
    Abraço grande, estimada poetisa.
    ~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  2. Tal como o sujeito lírico, todos nós temos momentos nostálgicos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. É, minha vida... Que, sem lembranças, definha..., Que Deus permita que este lamento fique apenas nas palavras.
    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Querida Lani
    O seu blog é o seu palco e os seus seguidores a sua plateia, que muito a admira e gosta muito de si.
    Nem pense em definhar, está com mais experiência, devido aos anos vividos, porque o seu espírito, tenho a certeza, é sempre jovem, só que mais sapiente.
    Bom domingo.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  5. Introspectivos e fortes versos! Toda vida traz uma bagagem de lembranças dolorosas, mesmo que tenha sido vivenciada construtivamente. O que se faz com as experiências, é que é o segredo de uma vida feliz e profunda.
    Gostei de refletir em "Alheamento".
    Bom domingo! Bjs

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Zilani!!!
    A beleza se faz presente mesmo que nos momentos tristes da vida e em suas palavras, ver-se a beleza da composição, já no sentimento, a tristeza. Parabéns amiga!!!

    ResponderExcluir
  7. Versos tristes que nos levam a uma nostalgia.
    A vida deixa lembranças e como você diz,cada fábula contada e encenada
    agora está sem roteiro e platéia,mas aqui estou para aplaudi-la por nos compartilhar
    tão linda inspiração.
    Adorei.
    Bjs Zilani e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. Uma tristeza imensa reveladora dos mais puros sentimentos que brotam do mais belo coração ,maravilhosa querida amiga como sempre única no verdadeiro sentir das palavras que delicadamente escreve ,muitos beijinhos no coração.

    ResponderExcluir
  9. Olá Lani.
    O que tu cantas no teu poema também acontece comigo,
    sempre tenho lembranças para serem esquecidas e outras
    tantas lembranças para serem lembradas.
    Para os poetas é matéria-prima
    para muitos poemas. Parabéns.
    Um ótimo final de domingo.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Zilani, a vida é feita desses momentos, e os tristes fazem parte do pacote! O bom é que depois da tempestade vem a Bonança, aí dá para levar na base da esperança.
    Muito bonito! Uma boa semana.
    beijo!

    ResponderExcluir
  12. Realmente uma vida sem lembranças deve ser bem vazia!!!bj e gosto!!!

    ResponderExcluir
  13. Parabéns
    Soberbo poema! Amei


    Beijos e um bom Domingo.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Zilani, a vida sem lembranças é a situação mais triste...todo o nosso acervo de sabedoria e experiência perdido...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Um poema nostálgico, porém de imensa beleza, envolvente e inspirador. Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Tão bonito... e simultaneamente tão triste.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  17. Boa noite querida Zilani.
    Um belíssimo poema, tocante, profundo e tão sentido. As lembranças no leva ao tantos sentimentos alguns tristes, e alguns alegres, assim como é a vida, com momentos felizes e tristes, o bom é que tudo é passageiro, nada é eterno. Uma linda semana amiga. Que saudade estava de ti e das suas lindas poesias. Só agora com esse feriado grande pude me da o prazer de visita-la. Pessoas como você não são esquecidas. Jesus te ama.

    ResponderExcluir
  18. Olá Zilani,
    Muito triste uma vida que passa sem histórias efetivamente construídas, sentidas e vividas. O vazio que se instala é mesmo aterrador. É através de nossas vivências, sem máscaras ou mera representação, que escrevemos os capítulos de uma existência válida e rica em emoções e lembranças.
    Um belo e inspirado poema!

    Tenha uma ótima semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Olá Lani!
    A vida tem seus atalhos mais difíceis, tristes ou até mesmo melancólicos. E se não encararmos este lado, viveremos de ilusão. Os mais célebres filósofos já disseram: viver não é fácil!
    E por vezes, ao desbravar o caminho ou os atalhos, no final, nem há com o que se arrepender.
    Acabei de ler a tua mensagem no meu blog e venho agradecer pela receita da maionese gaúcha e eu farei. Nunca fiz com gemas cruas e cozidas, mas me lembrei que minha mãe usava gema cozida na maionese e fiquei tão feliz com esta lembrança! Obrigada Lani, pela tua Presença, pela receita e pelas lembranças com a minha mãe.
    beijocas e ótima semana.

    ResponderExcluir
  20. Parece-me algo triste.
    Vamos levantar a moral que começa hoje uma nova semana!
    Bjs, boa semana

    ResponderExcluir
  21. Hoje um novo recomeço..
    Graças a Deus hoje estou podendo
    te agradecer pelo carinho respeito e amizade.
    Agradeço por jamais ter deixado de fazer visita
    a meu blog.
    A amizade verdadeira nunca esquece ,
    mesmo sem saber o motivo do meu afastamento.
    Eu entendo q por vezes demora a aparecer.
    Eu entendo q assim como eu todos tem problemas na vida.
    Todos nessa vida encontra obstáculos.
    Mas nem tudo é sofrimento .
    Deus é misericórdiso..
    Nos da alegria ao ver o nascer do Sol.
    Nos da um espetáculo único quando ele desce
    com sua magia no horizonte..
    Enfim tudo isso é só para
    dizer jamais te esqueci.
    Obrigada querida ..muito obrigada..
    Te abraço carinhosamente.
    Deus cuida de você com as mãos dele
    estendida tudo é possível.
    Simplesmente Eu,
    Evanir .
    Uma semana abençoada.
    Amiga saudades de vc ler e postar cada poema
    sempre fui sua admiradora. de carteirinha.

    ResponderExcluir
  22. Belíssimo poema! Parabéns! Porém dizem que a mente é tudo e tu te tornas aquilo que pensas. Pensar grande é sempre bom. Que tal fazer um assim: Hoje, no alheamento, / Senti saudades sem fim. / Até saudades de mim / Quando havia outro momento. / Alheada, é sofrimento. / Prefiro atenção assim / Como o saber de onde vim / E de onde me sopra o vento. / Hei de ter melhores dias / De flores, de alegrias, / De luz, de contentamento / Para eu pensar nestas frias / visões que levam-me às vias / de um mortal alheamento.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  23. Triste, sim, Zilani... mas com a poesia intensa e lúdica a que nos habituaste! Boa semana, amiga; fica bem.

    ResponderExcluir
  24. Um poema muito belo, cheio de sentimento. Gostei imenso.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Olá Zilani
    Nossas vidas são assim , um palco que com o passar do tempo vai definhando até fechar-se as cortinas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Belíssima e tocante mensagem, Zilani. E triste também. Belas palavras. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  27. Oi Zilani, a vida é sempre assim , temos osmais diversos momentos e todos vão ficando para trás para que possamos viver o presente, apenas com as experiências adquiridas para que daí para frente possamos sentir em nosso coração a alegria de termos vividos e evoluídos, pois a Terra é uma escola abençoada, onde viemos para aprender e crescer.
    Um grande abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  28. Um poema muito belo mas triste, revelador de um sentimento de introspecção que nem sempre é bom conselheiro.
    Há alturas em que o desalento toma conta de nós e estes desabafos em forma de poesia ajudam a dissipá-los.

    Um beijinho solidário

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  29. Parabéns, Lani, pela forma como colocaste em verso um estado de esquecimento de si. Sendo real, é um estado depressivo. No poema, é tocante! Que seja, sempre, um estado de momento, apenas!
    BJO :)

    ResponderExcluir
  30. Um poema muito belo... que coloca muito bem em palavras, um profundo estado de desalento...
    Não sendo um sentimento, com o qual gostemos de conviver... o que é facto, é que frequentes vezes, somos tocados por ele... e saber reconhecê-lo e defini-lo muito bem... é meio caminho andado para o sabermos ultrapassar...
    Sentimento e emoção... como sempre, no seu melhor!... Gostei imenso!
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  31. Oi Zilani! Nada como poesia para dizer as coisas da alma, adorei seu poema!
    Um grande abraço e muito obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  32. Triste, nostálgico momento!As vezes estamos assim e de repente tudo muda a nossa volta. A vida é mágica!! Bjs

    ResponderExcluir
  33. olá, Se eu pudesse escolher, se todos pudéssemos escolher, certamente que mudaríamos parte do passado, como não é possível alterar o passado, temos a possibilidade de escolher o futuro com aprendizagem do passado.
    Dia feliz,
    AG

    ResponderExcluir
  34. Bom dia Zilani!
    Nosso envoltório físico sofre todo o tipo de revés. Nisso está a sabedoria divina, que nos proporciona experiências das mais variadas nesta vida, inclusive aquelas que sentimos como ruins, para que as arestas de nosso ser sejam aparadas e possa surgir a obra plena de luminosidade que Deus criou. Talvez uma das mais penosas experiências seja a indiferença pela vida, imposta por sentimentos adoentados, e o véu do esquecimento trazido por problemas de saúde. Em ambos os casos, a sensação de perda de identidade está presente...mas ainda que difícil, talvez seja uma oportunidade para que comecemos a nos acostumar com a despersonalização necessária ao amadurecimento do ser, em que nos despojamos de tudo que é inútil, egóico, materialista, para nos concentrarmos no âmago daquilo que somos: espíritos de pura luz, de amor incondicional por tudo e todos, sem necessidade de rótulos ou qualquer coisa que nos aparte da fraternidade universal.
    Um abraço de agradecimento pelo lindo poema...!
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  35. Olá poeta.

    A vida sempre será generosa ao nos ensinar e se nos parece, muitas vezes, endurecida, há de nos moldar antecipadamente com a força do viver.

    Linda suas letras.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  36. A poesia oferece essa possibilidade:fazer um mapa daquilo que vivenciamos ou percebemos ao nosso redor ou no mundo, através do código lírico.
    Grande abraço. Obrigada pela partilha.
    Em divina amizade
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir
  37. Boa tarde, Zilani,
    quantas lembranças tristes, mas com certeza há boas lembranças também.
    Senti em mim a nostalgia, a solidão de estar só, onde no palco da vida, poucos restaram. Seu poema tem a maestria de sempre, usa as lembranças como a matéria mais preciosa, e com ela constrói este belíssimo, porém triste nem por isso, menos belo poema. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  38. Bonitos versos, Zilane, porém repletos de melancolia e mea culpa!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  39. Olá amiga, versos sentidos focando lembranças tristes,porém escritos com maestria, espero que seja apenas poesia.A saudade, a solidão no mais das vezes são cortantes e doem bastante, é nesse momento que a inspiração dela tira proveito, então nasce uma pérola como essa que ora leio, embora ferida.
    Grande bj no coração querida.
    O fundo musical é um relax muito gostoso.

    Bfs.

    ResponderExcluir
  40. Oi Zilani! Que lindo e ao mesmo tempo triste!E eis que nasce a beleza na dor... Linda demais essa tamanha melancolia, própria dos poetas. Grande beijo! Obrigado por ter ido la´no blog!

    ResponderExcluir
  41. A própria vida nos leva a este alheamento, este recolhimento onde o olhar se projeta em imagens muitas vezes esquecidas dentro de nós, talvez por nos terem causado muita dor ou então por não terem merecido a devida atenção. São muitos os motivos que de repente nos ativam na memória aquelas lembranças de situações que na época da sua vivência não nos inspirou uma atenção maior.
    Soubeste bem colocar em versos estes momentos e nos trazer um majestoso poema.
    Fiquei apreciando na lateral os teus lindos netinhos Pedro e Leonardo, e também a belezinha da Candy. Momentos de ternura, minha amiga, que por vezes a nossa alma necessita quando o olhar se perde em lembranças...
    Deixo-te um punhado de sorrisos atados em mimosas estrelas aconchegando um beijo do meu para o teu coração, no desejo de horas lindas a enfeitar os teus dias.
    Meu carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  42. ¡Hola, Zilani!!!

    Nos dejas unos versos preciosos llenos de magia y buen estilo, aunque llevan esa melancolía, no le quita ni un ápice de belleza. Me encantan.

    Tal cual es la vida, a veces nos envuelve en una telaraña de añoranzas que no deseamos, mas no siempre es así, puesto en la balanza pesa más lo bueno que lo malo, a lo largo de los años también nos topamos con algún vacío amiga, pero no es siempre así, la vida nos quita una cosa y nos da otra, nos envuelve en sonrisas y lágrimas en cuesta a bajo, y cuesta arriba. Creo que no todo es color de rosa para nadie.
    Hasta creo que si no fuera como es, sería aburrida.

    Un abrazo y mi inmensa gratitud.
    Se muy -muy feliz.


    ResponderExcluir
  43. Zilani,

    a nostalgia deste poema invade, inspira, fascina! Excelente leitura e reflexão nos proporciona: é como se fossemos o próprio sujeito lírico, emocionado, deixando escapar por seus dedos ao papel os sentimentos que exalam durante um processo de escrita. Abraço!

    ResponderExcluir
  44. Olá:

    Estive ausente mas regressei.

    O poema é belo,mas triste e com a música ainda mais triste...

    Beijinho doce

    ResponderExcluir
  45. Belo poema profundo e tocante. Bjs e um bom feriado

    ResponderExcluir
  46. Olá amiga Zilane! Retornando as minhas atividades nos blogs, fiquei afastada por um tempo, problemas de saúde que estão passando graças a Deus. Aproveito para desculpar-me pela ausência e assim que puder retornarei aqui com muito prazer pois amo suas postagens e a pessoa que você transmite ser. Como são muitas visitas, hoje estou com esse comentário para todos, mas saiba que se estou aqui o meu coração também está repleto de alegria. Abraços, que jesus nos abençoe sempre.
    Profª Lourdes Duarte
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  47. Palavras tão sentidas e tristes.
    Um alheamento que me fez lembrar uma doença terrível a Alzheimer. Muito difícil para quem a tem mas também para quem rodeia.
    Beijinhos
    MAria

    ResponderExcluir
  48. Olá, Zilani!

    Quem não fica alheia a seu escrito são nossos sentidos, que tal como os seus, vez ou outra, já sentiram um certo desalento, mas a vida é mesmo assim: avanços e recuos.

    Sendo melancólico seu poema, por outro lado, seu eu-lírico parece ser ator, ou seja, consegue "vestir" várias fatiotas, mirando-se no espelho.

    Vamos lá ver se essa "Odisseia", k é sua vida, vira Epopeia (rs). Os poetas têm a possibilidade de ser muitos em um ou um em muitos.

    Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  49. Um poema tocante, cheio de sentimentos, lindamente escrito.
    A música casou muito bem com o poema.
    Uma ótima semana!
    Um ótimo mês
    Um abraço, e um sorriso!
    Blog da Smareis


    ResponderExcluir
  50. Oi, Zilani, como vai? É um poema triste, mas verdadeiro, quem vive sem pensar muito no que faz e sem medir consequências inevitavelmente em algum momento sente um vazio somente remediável através de amor, a si próprio e aos outros. Abraços!

    ResponderExcluir
  51. Olá Zilani,

    O seu profundo e dorido poema traz para o palco da arte escrita,
    este sentimento de desalento, o qual todos sentimos no
    aprendizado da vida.
    Grata pela tua visita atenciosa e tem razão, às vezes desconectamos
    de alguns espaços involuntariamente (tempo corrido com a vida...)
    e apreciei saber esta conexão da ponte luminosa do blog da
    querida Ana Freire. Você é muito bem vinda!
    Apreciei muito a leitura aqui, no seu espaço de arte poética.
    Um final de semana feliz para você, querida!
    Abraço de paz.

    ResponderExcluir
  52. Boa tarde Zilani! Um grande abraço, e desejos de um lindo final de semana. Que Deus a abençoe.
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  53. Boa semana, Zilani. Aguardo o próximo post.

    ResponderExcluir
  54. Bom dia Zilani
    No palco da vida há que se enfrentar todos os momentos e a desilusão faz parte. Mas esta é apenas um ato. Quando as cortinas subirem novamente a plateia estará lotada aplaudindo de pé os momentos de glória e esplendor. Belíssimo minha amiga
    Beijos

    ResponderExcluir
  55. Zilani passei para deixar um beijinho.
    Maria

    ResponderExcluir
  56. Oi Zilani,
    Belíssima poesia! Retratos de momentos de reflexiva solidão!
    A vida é isso! As vezes repleta, por vezes vazia!
    Assim nos reconstruimos, cada dia um novo panorama!
    Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Beijos, Zilani Célia.