Seguidores

Recanto das letras

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

A CIGANA!

A noite cai a lua a enfeita,
Tudo é magia, na pequena praça,
A fogueira arde, o ritual começa,
A música soa a movimentação é frenética...

Num clarão ela surge, ar de princesa,
No pescoço o colar, da legítima deusa,
Contorce o corpo, na folclórica dança,
O fogo a reflete e sua imagem, a luz agiganta...

No espaço, muita gente, não só de seu povo,
Sente um olhar sombrio, enrubesce o rosto,
Da pupila inquieta, que maquina, arquiteta,
Pressente a maldade e com arrepios, seu corpo reage...

É madrugada, quando à tenda se recolhe,
Ante o perigo clama, por sua protetora, entidade,
Levanta a voz, numa fervorosa prece,
E proteção, a grande mãe, ela pede...

Ele atirara-se sobre ela, já no estertor da morte,
Não entende como, de suas mãos a cigana some,
Ainda vê, sobre a cama, uma flor exangue,
E um pequeno punhal... Coberto de sangue...


    Lani (Zilani Celia)

60 comentários:

  1. Um lindo e triste poema.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Zilani
    Versos intensos, belos e profundamente tristes
    Beijos e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  3. Poema emocionante, Lani!
    Parabéns por mais esta lindíssima criação poética!

    Ótima semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente belo.
    Bjs, uma óptima semana

    ResponderExcluir
  5. Que beleza de poema, você sabe muito bem transformar o triste em belo,quem sabe faz acontecer amiga.

    Deixo meu carinho !
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Catastrófico mas sublimemente escrito.
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Versos intensos mas tão lindos, Zilani!
    Parabéns.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Bom dia querida amiga, um poema belíssimo, palavras cativantes onde a tristeza também pode ser sem dúvida bela quando são escritas com tanta delicadeza e harmonia, muitos beijinhos felicidades

    ResponderExcluir
  9. Oi, Zilani!
    Belo poema, a crença na proteção ao pressentir o perigo.
    Um abraço,
    Sônia

    ResponderExcluir
  10. Lindamente escrito o poema que diz do triste desfecho e com o mistério que traz sobre a vida de uma linda cigana.
    Poesia pura que nos leva a sentir a intensidade do drama!
    Amei ler, deixo aqui abraços apertados amiga Zilani, agradeço o carinho de sua sempre bem vinda visita!

    ResponderExcluir
  11. Forte e reflexivo do começo ao fim...
    Muitos sentimentos e imaginação ao escrever, Lani...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Uma poema com história.
    Excelente, gostei imenso.
    Boa semana, amiga Zilani.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Olá, querida Zilani!

    Espero que você, filhos e netos estejam todos bem. Por aqui, tudo normal, excetuando o frio, que tem assolado a Europa inteira e Portugal dela faz parte.

    Agradeço tua visita e gentis palavras. Sei que não esqueces os amigos, mesmo se por qualquer motivo tens de estar um pouquinho afastadas do blog, pke a amizade é o sentimento mor.
    Eu não posto como dantes, porque tenho de poupar minhas mãos, sobretudo a direita, devido às duas cirurgias a que foi submetida no ano passado, daí só atualizo meu blog, mensalmente.

    E passando ao seu belo poema, cheio de enredo e fascínio, te digo que tenho pela cultura cigana um apreço mto especial. São seres iguais a nós, com virtudes e defeitos, mas como sempre foram marginalizados, eles têm atitudes, que os outros nem sempre entendem, mas as coisas estão evoluindo e já temos ciganos e ciganas com formação académica superior.

    Então, a bonita cigana, a deusa, como você lhe chama, dançava ao "som" do luar e suas mãos davam o mote, bem especial, enquanto a multidão observava seu olhar tristonho (estou imaginando as roupas). Depois recolheu à tenda, pediu proteção à sua entidade, que veio até ela, mas, misteriosamente, ela desapareceu, sumiu, deixando contudo na cama umas uma flor e um punhal.
    Gostei da história, que criaste, poeticamente, e que não é nada surreal. Gostei mto da temática, sim. Parabéns pelo poder da tua imaginação.

    Beijos e dias de mta luz e paz, embora as coisas por aí estejam começando a "aquecer", politicamente, mas o mundo tem de mudar, para melhor, obviamente, e sobretudo tem de ter regras.

    ResponderExcluir
  14. Dramático, extremamente lindo!
    Li como se sorve um bom vinho...Demais!
    Beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  15. Da magia à tragédia, dizes, com palavras adequadas e com musicalidade, da vida desta cigana.
    Fiquei atraída pelo enredo e beleza.
    BJO, Lani :)
    (Comentei o anterior poema pelo telemóvel e só aparece Odete Ferreira e, clicando no nome, não aparece nenhum link; houve quem não me encontrasse por esta via. Assim, passo a deixar o meu endereço - http://portate-mal.blogspot.pt/ )

    ResponderExcluir
  16. Oi Zilani! Belo poema, misterioso e dramático. As ciganas jovens em suas danças devem ser muito cobiçadas, até mesmo pelos que não são de suas raízes. Como nos livrarmos da maldade premeditada?
    Um grande abraço e obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  17. Oi, Zilani, que belo conto poético! as paixões intensas e a magia dão um colorido mágico à narrativa.
    um abraço

    ResponderExcluir
  18. Triste e tocante poema, Zilani. bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  19. Gostei do desenrolar do poema . Muito bom tudo que li . Zilani . Agradeço a partilha . Beijos e bom domingo .

    ResponderExcluir
  20. GOSTEI DO POEMA, NÃO FOSSE A TRAGÉDIA, BJS E BOA SEMANA

    ResponderExcluir
  21. Há muitas lendas em torno do povo cigano, não por acaso o povo das antigas tinha muito medo deles. Eu acredito que todo tipo de cultura e tradição merece respeito, inclusive o que cerca a força mística dos ciganos. Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Da magia à comédia,
    da comédia à tragédia,
    corre tudo num instante
    O mundo que parece distante
    e afinal a tenda, o palco somos nós.
    Quem lhe leu a sina, Zilani,
    que destino te deu essa voz?

    Bj.

    ResponderExcluir
  23. Um poema narrativo muito forte. A mim pareceu-me estar a ver um filme...
    Uma boa semana.
    beijos.

    ResponderExcluir
  24. Belo poema, como belas são as ciganas. Ainda há muito preconceito contra essa raça, aliás contra todas as que são diferentes, mas as coisas aos poucos vão melhorando; não há uma pessoa igual e pprtanto temos de comecar a aceitar as diferenças com naturalidade e um pais se torna lindo e interessante com a diversidade de culturas. Gostei muito, Zilanni. Parabéns, amiga! Tudo de bom para ti e para os teus. Um beijinho
    Emilia

    ResponderExcluir
  25. Olá Zilani! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário deixado no nosso Arte & Emoções, assim como comunicar o meu retorno a este prazeroso mundo virtual.

    Quanto ao post, um pouco triste, mas um belo e profundo poema.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
  26. Um poema muito belo... com um final misterioso, intenso, dramático... e tão arrebatador quanto esta dança... na forma de palavras!
    Mais um trabalho fantástico, Zilani! Que nos agarra da primeira à última palavra!
    Gostei muito! Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  27. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei ontem, dia 14/02/17, DIA DE ANIVERSÁRIO do meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/
    Desde já o meu “Bem hajas!”
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    PS – Desculpa o “copy & paste”.
    Voltarei para ler e comentar.

    ResponderExcluir
  28. Olá, Zilani!

    Tudo bem? Aqui, hoje, temos sol.

    Calculei k "tua" cigana ainda andasse "desaparecida", mas, quero agradecer tua mais recente conversa lá no blog.

    Sempre k acedo ao teu blog, fico olhando as poses de teu filho e neto Pedro. Que garbosos (rs)! Pedro e Leonardo são parecidos com o pai, acho eu, e ambos são uma gracinha. Leonardo, então, está uma fofurinha nas fotos.

    Tal como eu tu tb gostas do Verão, pke é tempo de dias grandes, liberdade, saídas, roupa leve e mto sol, luz. Aqui, chimarrão é o nome de uma cadeia de restaurantes, sendo a gerência constituída por brasileiros e portugueses. Já estiveram mto na berra e olha que uma refeição era bem cara, mas valia a pena pelo requinte da comida, luxo do espaço e a atenção dispensada. Agora, estão virados para fast-food, pke é mais barato, rápido e dá dinheiro e tb prejudica a saúde, mas a garotada e não só, não liga pra isso.

    Qto à política em teu país, pois, infelizmente tem dado k falar pelo mundo, sim, mas por motivos negativos, infelizmente, todavia o teu gigantão há de encontrar a estabilidade necessária, e se não for a bem, será a mal.

    Qdo quiseres e te apetecer, aparece no meu blog, pke já escrevi umas palavrinhas novas e coloquei um vídeo. Se não gostares, me diz, por favor, pra eu melhorar minha temática.

    Beijos pra ti e para os teus meninos. M;ta luz e paz!

    ResponderExcluir
  29. Excelente poema.
    Com um trágico final, mas bonito.
    Bom fim de semana, amiga Lani.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  30. Olá:

    Belo, muito belo.Mas triste!

    Beijinho doce

    ResponderExcluir
  31. Da beleza â tragédia , da dança cigana à mensagem do corpo respondendo à música de índole árabe , em tudo falaste de uma forma fabulosa!
    Abraço Lani
    Saudades !

    ResponderExcluir
  32. hola,soy sony de arvoiris de la vida,muchas gracias por visitar mi vlog y seguirme,es un gusto tambien poder hacerlo.

    un fuerte abrazo!!!!!!

    ResponderExcluir
  33. Oi Zilani! Passando para te cumprimentar e desejar uma ótima semana com muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
  34. Oi Zi

    Obrigada pelo carinho.
    Sempre achei as ciganas cheias de mistérios rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  35. Há mistérios que ninguém consegue descobri-los.
    Amei Zilani,assim como amo tudo que seja misterioso.rs
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  36. Oi, Lani
    Este poema é muito forte, intenso, duma narrativa que prende desde o início até o triste final.
    Obrigada pela carinhosa presença e parabéns à minha "CASA".

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  37. Lani, poema maravilhoso, cheio de paixão e com final completamente inusitado,parabéns! bjs,

    ResponderExcluir
  38. Deixando um beijinho e votos de continuação de uma boa semana...
    Ana

    ResponderExcluir
  39. Fiquei encantado do seu blog, Célia. Muito gostéi de seus poemas, gráfica e música. Espero que meu portuñol dé para comprender. Com a sua licença ficarei por aqui.

    Abraçaço!

    ResponderExcluir
  40. Zilani, minha querida amiga: espero que aquela tristeza registrada no terno e tão doído poema que publicaste nos meados de Dezembro/16, tenha ido embora, e que tenhas entrado em 2017 com o coração pleno de alegrias. Pessoas como tu, meu anjo, merecem receber da vida apenas momentos pautados na alegria. E isto eu acredito que consigas, principalmente quando estás ao lado dos teus netinhos tão lindos e tão amados por ti. As crianças tem este poder de nos encantar com suas brincadeiras, sua fala tão doce, o olhar tão terno a refletir estrelas, e assim nos fazer esquecer todas as mazelas do mundo. Como estão lindos e crescidos os teus amores: Pedro e Leonardo. Também a Candy está uma fofurinha que dá gosto ver. Espero que tua filha e genro também estejam bem, usufruindo todos das benesses de uma família unida.
    O poema de agora nos mostra um aspecto da tragicidade que sempre foi muito explorada na literatura, música e teatro. Enredos muitas vezes interligados na tradição e nos amores, sempre muito intensos, como tudo que envolve a cultura cigana.
    O teu poema não fugiu à regra e nos trouxe versos intensos, doídos, que nos deixa na imaginação o mistério que envolve toda a cena onde uma cigana dança, acolhida numa noite enluarada, e reza pedindo proteção... Uma proteção que parece não existiu, quando magistralmente se finda a magia explícita nos últimos versos:
    “sobre a cama, uma flor exangue,
    E um pequeno punhal... Coberto de sangue...”
    Esta característica tua de criar um enredo envolto em versos, é simplesmente magnífica.
    Muito bom estar de novo na blogosfera, meu anjo, desfrutando da companhia de amigos que me são tão gratos, assim como tu. Pessoa que sempre esteve ao meu lado, não apenas nos momentos de alegria, de entusiasmo pela vida, como também naqueles em que o destino enredou-me em teias tão difíceis de lidar. Tu estavas lá, a me estender a mão, a me mostrar que mais a frente meu coração seria apaziguado.
    Neste período em que estive fora, visitando os lugares já tão conhecidos por mim e meu companheiro quando de nossas viagens, bem podes imaginar como me foi sofrido. No entanto, posso dizer que de alguma forma estou encontrando mais serenidade na alma, voltada que estou apenas para os meus projetos profissionais e as minhas casas de assistência.
    E assim, a vida vai acontecendo...
    Envio-te um punhado de estrelas aconchegados entre pétalas de rosas coloridas, desejando que estejas sempre iluminada com os sorrisos dos anjos.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
  41. Olá Caríssima Zilani.
    Fascinante, emocionante, triste e terno.
    Parabéns por esses regalos que graciosamente nos presenteias. São pérolas de maravilhoso brilho, brilho que nos encanta.
    Bom fim de semana e um terno e respeitoso abraço.

    ResponderExcluir
  42. Intenso, dramático e poético.
    Tu escreves muito bem.
    Beijos e um ótimo feriado.

    ResponderExcluir
  43. Belo, lúdico... e extremamente místico! Mais um belo post, Zilani! Obrigado, boa semana.

    ResponderExcluir
  44. As suas palavras provocaram-me um arrepio involuntário. Que intensos versos, escritos com uma mestria ímpar.
    Beijinhos
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    P.S. E o Carnaval como foi?

    ResponderExcluir
  45. Boa tarde, Lani.
    Sempre quando consigo vir aqui faço uma leitura gratificante.
    És uma das poucas que conseguem manter um blog com qualidade e leitores leais.
    Parabéns pela rica poesia, não menos esperaria de você.
    Beijos na alma, amiga.

    http://redescobrindoaalma.blogspot.com.br/2017/02/o-nascimento-da-estrofe-by-patricia.html

    http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5895998


    http://carinhosemselosdosamigos.blogspot.com.br/2017/02/minha-participacao-na-blogagem-coletiva.html


    https://www.facebook.com/poetapatriciapinna/





    ResponderExcluir
  46. Belo e triste poema...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  47. Oi Zilani!
    Lindo tema!
    Os ciganos sempre me fascinaram, pela dança, pelas roupas, pelo mistério!
    Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
  48. Gostei de reler o seu excelente poema.
    Continuação de uma óptima semana, amiga Lani.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  49. Olá Zilani,passando para lhe desejar um ótimo final de semana.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  50. Olá querida Zilani, td bem?
    A magia e o encantamento das ciganas sempre vão existir, histórias tristes também.
    Muito lindo o seu poema!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  51. Tão lindo e ao mesmo tempo triste. bem intenso!
    A música é muito boa.
    Uma boa semana. Um excelente mês.
    Um beijo!

    ResponderExcluir

  52. Bom dia!

    Meu nome é Fernanda Alves, eu falo em nome da Lionshome. Estou entrando em contato com você, pois estamos analisando blogs em todo o Brasil para fazerem parte de nossa Rede de Blogs e o seu blog foi selecionado.

    Nós gostamos bastante do conteúdo da sua página e temos certeza que nossos usuários vão gostar e se informar mais.

    Só explicando um pouco melhor sobre a LionsHome, nós somos uma Startup localizada em Berlim que durante seus dois anos de vida vem crescendo rapidamente.Recentemente lançamos nosso Website no Brasil e estamos buscando Blogs com conteúdos interessantes e interativos para fazer parte da Rede LionsHome de Blogs.

    Com a nossa rede de blogs você tem a oportunidade de adicionar uma pequena descrição sobre os seus posts ao nosso website através do RSS-feed, atraindo assim mais visitantes e leitores para o seu blog (quando os usuários clicarem em seu post são redirecionados para o seu blog). Caso você tenha interesse, essa participação é completamente gratuita, já que estamos entrando agora no mercado brasileiro. A única coisa que pedimos em troca aos blogs da rede Lionshome é adicionar uma pequena logo nossa em sua página inicial assim que você se registrar.

    O link para se inscrever é o seguinte:

    http://www.lionshome.com.br/br-br/blogs/signup/

    Se você quiser saber como funciona melhor nossa rede de blogs, pode visitar nosso website:

    http://www.lionshome.com.br/br-br/blogs/all/ (Brasil)

    Qualquer dúvida, estou à disposição.

    Abs,
    Fernanda Costa

    --
    Fernanda Costa
    Marketing & Community Manager Brazil
    Phone: +49 030 120 534 090
    Web: www.lionshome.com.br

    ResponderExcluir
  53. Bela estória em versos - intensa, dramática.
    Abraços e feliz dia.

    ResponderExcluir
  54. Olá Zilani, que lindos e soberbos versos... A vida nômade tem lá suas belezas amiga, e seus versos mostram com clareza.
    Tenha uma linda semana.
    Bjs saudosos!

    ResponderExcluir
  55. Encantador esse poema, mesmo com o desfecho tão triste, mas nos encanta por todo o conjunto que forma esse belo texto poético: sentimento, originalidade, criatividade e alma poética da autora.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Beijos, Zilani Célia.