Seguidores

Recanto das letras

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

CAMINHOS PARALELOS!

  
Quando o céu escurece e a noite vem, 
Ouço ao longe, o apito do trem,
Arrancando lembranças, de minha mente,
E lágrimas, de meu olhar triste, ausente...

Quando se aproxima, meu corpo estremece,
O frio d’alma aumenta, quando entardece,
Choro, aquele amor, que nunca se esquece,
Pois na vida, só uma vez, igual, acontece...

E, toda vez que corro, para vê-lo passar,
Penso, que desta vez, vou nele embarcar,
Minha bagagem, é só o amor, que tentei te ofertar,
E tua imagem, que meu tolo coração, quer guardar...

Novamente, ficarei na estação, quando ele partir,
Sentada n’um banco, com meu olhar o seguir,
E como trilhos, paralelos, que jamais se encontrarão...
Somos nós dois e minha espera, sei... É em vão...

    Lani (Zilani Celia)





56 comentários:

  1. Boa noite, querida amiga Zilani!
    Minha bagagem, é só o amor, que tentei te ofertar,
    E tua imagem, que meu tolo coração, quer guardar...

    Versos preciosos que me enterneceram a noite de forma suave e bela.
    Deus te abençoe muito!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Oi Zilani, as vezes amores são retas paralelas, mas como elas, no infinito se encontram.
    um abraço

    ResponderExcluir
  3. Preziose immagini in poesia di bella lettura
    Un saluto,silvia

    ResponderExcluir
  4. Um lamento de amor. Triste como tristes são os amores não correspondidos.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Una poesia bella triste e commovente che giunge fino al cuore.
    Buona giornata, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  6. Que poema lindo, mas que não deixa de ser triste!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Lani!

    Grata por tua visitinha e comentário.

    O teu amor é paralelo ao trem, k sempre vês passar e com ele as recordações e a vontade de recomeço.
    Infelizmente, o outro não liga ao teu amor e então, há obliquidade, infelizmente. Gostei mto das tuas palavras, tristes, mas bem posicionadas.

    Tua filha, k tem nome contrário ao teu continua feliz com a adoção da nené? Ela já tinha outra filha, mas biológica, sim?

    Beijinhos para todos e dais bem primaveris.

    ResponderExcluir
  8. Há esperas que são assim mesmo. Te inspiraste muito bem! Linda poesia! bjs, ótimo dia! chica

    ResponderExcluir
  9. Bom dia.
    Parabéns pelo poema brilhante que nos oferece. Adorei :))


    Hoje » Exaltação da Nauteza.

    Bjos
    Votos de uma óptima Terça-Feira

    ResponderExcluir
  10. Um belo poema , pleno de saudades.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  11. Maravilhos poema como sempre. Muitos parabéns!!
    Deambulando em teus bens...
    Beijos e um excelente dia!

    ResponderExcluir
  12. Lindíssimo e inspirado poema, o amor acontece uma única vez, pois amor que é amor é único, sendo assim quando as circunstâncias da vida separam dois corações que se amam, fica mesmo assim, uma sensação de "caminhos paralelos"!
    Amei ler querida amiga Lani!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. As estações - de trens e do ano - são sempre temas muito inspiradores.
    Lindo poema!

    ResponderExcluir
  14. Lindo poema com cores e tonalidades do Outono que agora chegou a Macau

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde, imagem e poema em sintonia, o poema reflecte saudade, é romântico a atractivo.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderExcluir
  16. Chegará o seu tempo de apanhar o trem.
    Gostei.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  17. Gostei do poema Lani...
    Um trem tem um profundo impacto nas povoações interioranas.
    O seu som ritmado pode relembrar felicidade ou tristeza profunda.
    O tem passará e o ferimento em sangue cicatrizará...
    Um belo poema de saudade pungente.
    Terno abraço, Amiga.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir
  18. Caros amigos leitores,

    convidamos-vos a ler o capítulo 12 da nossa história escrita a várias mãos "Janelas de Tempo"
    https://contospartilhados.blogspot.com/2018/09/janelas-de-tempo-capitulo-12.html

    Votos de excelente fim-de-semana.
    Saudações literárias!

    ResponderExcluir
  19. Quem espera, desespera...
    Gostei imenso do seu poema, é magnifico. Parabéns.
    Zilani, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Maravilhoso poema, um amor será sempre único.

    bj

    ResponderExcluir
  21. Muito lindo Zilani...Adoro a metáfora do trem para a vida...O amor que não tem um final tem grandes chances de nos deixar na plataforma esperando...esperando...sem nuca se escontrar.
    Amei seu poema, abração!

    ResponderExcluir
  22. Un poema muy bello con un gran contenido. Bien acompañado por la imagen.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  23. Buon fine settimana e un saluto, carissima,silvia

    ResponderExcluir
  24. Bonitos caminhos paralelos! Esperar é um desafio, mas aguardar em vão é tristonho e angustiante...
    A imagem é linda...
    Poetar é lançar sentimentos com bravura...
    Bj

    ResponderExcluir
  25. Querida Lani
    Uma bela imagem a ilustrar o título do seu poema!
    Quando há amor, há esperança!
    Um poema muito lindo!
    Beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  26. De tão labiríntica a vida, nós nunca sabemos onde (e quando) vamos parar. Um abraço.

    ResponderExcluir
  27. Bonito poema.
    Beijinhos e bom domingo.

    ResponderExcluir
  28. Oi, Lani!

    Tudo bem? Façamos por isso. Pronta pra dia 07? Vota em consciência.

    Agradeço tua explicação acerca de Inaliz. É curioso! Como há mulheres, k levam tempo a engravidar, recorrem à adoção, k é um processo moroso. Entretanto, veio o Leonardo, k é uma gracinha de lindo e feliz e só agora o menino pedido na adoção. Por vezes, aqui, tb sucede isso, mas alguns alegam k como já tem o filho(a) biológica, k entretanto nasceu, não pretendem mais crianças, ficando adoção sem efeito. Por um lado, acho k é pouco ético e defrauda expetativas, mas por outro, um biológico já chega.

    Beijos e bfds.

    ResponderExcluir
  29. Olá Zilani, Cheguei!

    Maravilhosa poesia, lindo versos. Certamente existem muitos trilhos paralelos que não se encontram. Parecem seguir ao mesmo destino e desencontros vem e vão. O mais importante é o amor, que este sempre siga paralelo, passando pelas mesmas estações, levando ao seu destino dois corações.

    Agradeço sua visita e comentário lá no Alívio Imediato.

    Bjs.

    Votos de uma semana de paz, luz, amor e harmonia.

    ResponderExcluir
  30. Um poema de um amor magoado. Muito belo!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  31. Nostálgico e belo, Zilani. Emocionou-me, confesso! Boa semana, amiga.

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde, querida Zilani,
    o trem nos traz tantas lembranças, e este recorda o amor de espera e que que nos deixa tristes.
    Somos nós dois e minha espera, sei... É em vão...
    Gosto de poemas que trazem em seus versos o trem, gostei muito. Beijos!

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Olá Zilani.
    Linhas Paralelas que se observam mas que num determinado ponto do caminho se cruzam. O caminho da Vida.
    Lindo o seu poema.
    Um Abraço

    ResponderExcluir
  35. Boa noite, Zilani,
    este teu belo poema levou-me à infância, quando meu pai me levava a fazer o passeio de trem, levou-me, também, à música "Trenzinho Caipira" do nosso genial compositor Villa Lobos e a letra feita para essa música pelo talentoso poeta Ferreira Gullar, música essa que foi gravada por Edu Lobo.
    Parabéns, amiga, uma ótima semana.
    Beijo
    Pedro

    ResponderExcluir
  36. Encantada com esse poema cheio de saudades. Lembro-me das minhas saudades, as quais ferem, ainda, meu coração.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  37. Entendo sua espera,amiga!
    poema lindo!
    Bjo no coraçao
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  38. Olá, Zilani!
    Poema triste mas muito belo, para ler, reler e reflectir.
    Partidas da vida... quem as não tem?
    Beijo e dia luminoso.

    ResponderExcluir
  39. Gostei de reler o seu excelente poema.
    Zilani, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  40. Oi Zilani!
    Tudo bem com você?
    Linda poesia! Os trilhos de trem são inspiradores!
    Feliz fim de semana!

    ResponderExcluir
  41. As paralelas que nunca se encontram, mas , que muitas vezes amamos em vão.
    Palavras muito boas e sábias!
    Um ótimo fim de semana pra você, Zilani

    ResponderExcluir
  42. Olá, tudo bem? Versos muito delicados. Gostei. Bjs e bons votos no domingo. Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  43. Colori intensi nel tuo autunno, carissima,silvia

    ResponderExcluir
  44. Boa tarde, a vida o paralelo acontece e atrai, o poema é maravilhoso.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
  45. Olá Zilani,
    Passando para lhe desejar uma maravilhosa e abençoada semana com muita paz, luz, amor e harmonia

    ResponderExcluir
  46. Boa semana, Zilani; aguardo o próximo post.

    ResponderExcluir
  47. Desejo que tudo esteja bem...
    Dias tranquilos e felizes.
    Abraço.
    ~~~

    ResponderExcluir
  48. Lindo poema!! Parabéns! Pensamos que vamos embarcar e vemos que não é dessa vez... Gostei muito da analogia e da temática. Adorei! Um abraço repleto de paz a você.

    ResponderExcluir

  49. 40 Funny Illustrations Proves That The World Has Changed For The Worse https://goo.gl/mE6zfU

    55 Funny Illustrations of Two Kinds Of People In The World https://goo.gl/6GbZPy

    45 Illustrations presenting the Brutal Realities of Life https://goo.gl/dmCEkW

    Funny Illustrations Of Living As a Giraffe Or a Crocodile https://goo.gl/9sZWH3

    ResponderExcluir
  50. Olá querida Zilani, td bem?
    Belíssimo e triste o seu poema, muitas vezes o nosso amor não está ao nosso alcance.
    Adorei a imagem, casou perfeita com o poema!
    Bjs

    ResponderExcluir
  51. Zilani, deixei um comentário, mas tenho dúvidas se entrou, voltarei para ver.
    beijo!

    ResponderExcluir
  52. Eu havia dito que belo poema, tão lindo quanto triste! Gosto de teus poemas, querida Zilani, narras poeticamente uma história com começo, meio e fim. E eu fui descendo a leitura com certa ansiedade.
    Aplausos, amiga.
    Beijinho. (não entrou o primeiro porque eu o fiz com o e-mail fechado, não me dei conta)

    (...) Choro, aquele amor, que nunca se esquece,
    Pois na vida, só uma vez, igual, acontece...

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Beijos, Zilani Célia.