Seguidores

Recanto das letras

quinta-feira, 9 de março de 2017

ESTRADA SOLIDÃO!


Sou estrada, que cruza sem parar a vida,
Indo e voltando sem paz, sem guarida,
Sei que a vontade de Deus é sagrada,
Me fez caminho, comprido, sem parada...

Sigo em frente, vou em todas as direções,
Corto montanhas, atravesso pontilhões,
Em mim nascem sonhos, unem-se corações,
Acolho o devoto, conduzo procissões...

Sou da terra a veia, onde o sangue pulsa,
Fui a ferida rasgada, que não cicatriza,
A poeira me cobre, o silêncio me machuca,
Acolho a flor, que arrancada, murcha...

Quando noite, fico vazia, solitária,
Deixo a pressa morrer, visto a mortalha,
Num cortejo fúnebre, Inicio uma triste travessia,
E, ao clarear o dia, novamente... Só sou... Rodovia...


       Lani (Zilani Celia)